NOTCIA

10/09/2019 |

DIG esclarece homicdio de Casquinha e autor confessa que a motivao foi briga de trnsito

Compartilhe esta notcia

A DIG Delegacia de Investigações Gerais de Ourinhos, em apenas onze dias de investigações esclareceu um homicídio e prendeu Hudson de Paula Lima, 45 anos, em sua casa na Rua Olímpio Coelho Tupina - Vila Christoni acusado de ser o autor do homicídio ocorrido no dia 29 de agosto, ocasião que Adolfo Guilherme Mingroni, 27 anos, foi baleado na Rua Pará em Ourinhos.

Durante entrevista coletiva a imprensa o delegado titular da DIG, doutor João Beffa, deu detalhes sobre as investigações e o depoimento do autor, que se demonstrou arrependimento.

“Desde o dia do registro do homicídio, tanto eu quanto o delegado doutor José Henrique Ribeiro Júnior e os investigadores iniciamos os trabalhos de investigações a fim de descobrir o autor ou atores, e com o trabalho de campo, ouvimos algumas testemunhas que não ajudaram em nada. E através do Setor de Inteligência da Polícia Civil, conseguimos chegar até Hudson que acreditava que nunca seria preso, que jamais a polícia iria desvendar o crime”, relatou Beffa.

Em posse de informações precisas, foi o pedido de Prisão Temporária de Hudson, que foi detido na tarde de segunda-feira (9) em sua casa, e durante seu depoimento narrou que tudo aconteceu por uma briga de trânsito.

“Estava na frente da minha casa já em cima da moto com a minha esposa na garupa, quando veio uma Saveiro desgovernada e em alta velocidade e vei para cima da moto, neste momento houve uma discussão, na qual Casquinha, o condutor do carro mencionou em puxar algo debaixo do banco, eu não sabendo o que era, e como eu estava armado efetuei um disparo de arma de fogo. Neste momento Casquinha, saiu do local e retornou logo em seguida, apontou o dedo para a minha casa, como um tipo de ameaça. Tivemos uma nova discussão e Casquinha saiu, eu deixei minha esposa na esquina e fui atrás dele, onde efetuei o disparo contra ele e fugi do local”, detalhou Hudson.

Após os fatos, o acusado retornou para sua casa onde permaneceu por esses dias. De acordo com o delegado, a esposa foi ouvida e confirmou a versão do marido, e que os dois apesar de morar próximos não eram amigos e nem se conheciam, que inclusive Hudson relatou que não sabia que ele morava tão próximo.

“Logo após o crime Hudson vendeu a arma do crime, inclusive está arma foi apreendida com um indivíduo que foi autuado em flagrante por Porte Ilegal de Arma de fogo, ocorrência registrada no plantão policial”, disse Beffa.

Hodson foi encaminhado para a Cadeia Pública, onde permanecera até o julgamento pelo crime de Homicídio Qualificado.

 

 

 

Fonte: www.ourinhosnoticias.com.br

Comente esta notcia
Deixe seu comentrio abaixo:

termos de uso

COMENTRIOS

PUBLICIDADE