ARTIGO

22/05/2013

Diretor do jornal O Estado de S. Paulo morre aos 88 anos

Compartilhe este artigo

O diretor do jornal O Estado de S. Paulo, Ruy Mesquita, morreu nesta tera-feira (21) s 20h40, aos 88 anos em So Paulo, de acordo com a assessoria de imprensa do Hospital Srio-Libans. "Dr. Ruy", como era conhecido, estava internado desde o dia 25 de abril, quando havia sido diagnosticado com um cncer de base de lngua. Aberto ao pblico, o velrio ser na manh desta quarta (22) na rua Angatuba, 465. J o enterro deve comear de tarde no Cemitrio da Consolao. Comeou no jornalismo em 1948 e foi redator e editor de Internacional em O Estado de S. Paulo at que em 1966 assumiu a direo do recm-criado Jornal da Tarde. A publicao, que foi considerada uma grande inovao na linguagem jornalstica da poca, fechou em 2012. Ruy Mesquita foi um defensor da liberdade, da democracia e da livre-iniciativa , princpios que sempre nortearam a linha editorial do Estado. Ao longo de seus 88 anos, teve participao ativa em momentos importantes da histria do Brasil e da Amrica Latina. Presenciou o incio da revoluo em Cuba, nos anos 50, e foi homenageado pelos irmos Castro, de cujo regime se tornou depois crtico contumaz. Reuniu-se com militares antes do golpe de 1964, que apoiou, em nome da defesa da democracia, mas, assim como seu pai e seu irmo, tambm passou a criticar a ditadura, uma vez instalada. Os trs lideraram uma das mais emblemticas resistncias censura prvia, substituindo as reportagens cortadas por poemas e receitas. Trabalhando em perodo integral no jornal desde 1948, Ruy dizia que a sua misso era a mesma de seu pai e seu irmo: Manter os padres ticos, culturais e informativos do jornal. Um bom jornal tem de ter, em primeiro lugar, objetividade na informao. Deve superar sua ideologia na apresentao do noticirio poltico, no deixando que suas opes ideolgicas influam na objetividade do noticirio. Isso no quer dizer que um jornal deva ser neutro diante dos conflitos polticos e sociais. Imparcial na transmisso das noticiais, sim. Neutro nos conflitos polticos, no", afirmou. Neto do fundador de O Estado de S. Paulo, um dos grupos mais tradicionais de mdia do Pas, ele comandava o jornal desde 1996, aps a morte de seu irmo Julio de Mesquita Neto. Ruy manteve sua rotina de trabalho at a vspera da internao. De hbitos reclusos, dividia seu tempo entre o jornal e a casa, onde se dedicava a leituras. Deixa a mulher, Laura Maria Sampaio Lara Mesquita, os filhos Ruy, Ferno, Rodrigo e Joo, 12 netos e um bisneto. Em nota, a presidente Dilma Rousseff lamentou a morte do diretor e afirmou que Ruy Mesquista "foi smbolo de uma gerao da imprensa brasileira". "Ruy Mesquita foi um homem de convices. Diretor do jornal O Estado de S. Paulo, criador do inovador Jornal da Tarde, Doutor Ruy como era conhecido foi smbolo de uma gerao da imprensa brasileira. Neste momento de dor, presto a minha solidariedade famlia e amigos." O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso lamentou a morte do amigo Ruy Mesquita, em artigo publicado no site do jornal: "Choro hoje no apenas a morte do grande jornalista, mas a perda do amigo. (...) So Paulo e o Brasil perderam um grande cidado". O Estado de S. Paulo o mais antigo jornal da capital paulista ainda em circulao. Alm dele, o Grupo Estado, de propriedade da famlia Mesquita, tambm controla a empresa de classificados OESP Mdia, a agncia de Notcias Agncia Estado e as rdios Estado e Eldorado. Segundo o ranking de 2012 da Associao Nacional de Jornais, O Estado de S.Paulo o quarto maior jornal do pas, com uma circulao de 235 mil exemplares.

Autor: Agncia Estado

Comente esta notcia
Deixe seu comentrio abaixo:

termos de uso

COMENTRIOS

PUBLICIDADE